Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NO VAGAR DA PENUMBRA

NO VAGAR DA PENUMBRA

OSCAR WILDE APLICADO À POLÍTICA PORTUGUESA

Maio 03, 2016

J.J. Faria Santos

Oscar_Wilde_portrait.jpg                                          Fonte: Wikimedia Commons

 

O que António Costa poderia dizer a Passos Coelho:

“Todo aquele que se volta para o próprio passado não merece encarar o futuro.”

 

O que Passos Coelho poderia dizer a António Costa:

“Há coisas que é justo dizer mas que são ditas, por vezes, no momento errado e não acertando com o auditório.”

 

O que Mário Centeno poderia dizer a Jeroen Dijsselbloem:

“Aos olhos de todo aquele que tenha estudado a História, a desobediência é a virtude original do homem. A desobediência permitiu o progresso – a desobediência e a rebelião.”

 

O que Ricardo Salgado poderia dizer ao país:

“São as personalidades e não os princípios que fazem avançar o tempo.”

 

O que Ricardo Salgado poderia dizer aos seus mais próximos:

“É perfeitamente monstruoso apercebermo-nos de que as pessoas dizem coisas nas nossas costas, coisas que são absoluta e completamente verdadeiras.”

 

O que Paulo Portas poderia dizer acerca da política portuguesa:

“Nos tempos que correm pode sobreviver-se a tudo menos à morte, e arranjar tudo excepto uma boa reputação.”

 

O que Passos Coelho poderia dizer ao Presidente da República:

“Ser bom é estar em harmonia consigo mesmo. A discórdia é ser forçado a estar em harmonia com os outros.”

 

O que um assessor presidencial poderia dizer a Marcelo Rebelo de Sousa:

“Não façais troça dos cabelos pintados e das caras pintadas. Têm um encanto extraordinário – às vezes.”

 

O que Tiago Brandão Rodrigues poderia dizer a Nuno Crato:

“Os exames são, em absoluto, farsas completas. Se um homem for um gentleman, já sabe o suficiente, e se não o for, tudo quanto aprender apenas lhe pode ser prejudicial.”

 

O que Marcelo Rebelo de Sousa poderia dizer em discurso à nação:

“Por falar em acreditar nas coisas, posso acreditar seja no que for, na condição de que se trate duma coisa inacreditável.”

 

(Excertos retirados de “Aforismos” de Oscar Wilde, Contexto Editora.)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D