Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NO VAGAR DA PENUMBRA

NO VAGAR DA PENUMBRA

ANGÚSTIA PARA O JANTAR

Maio 31, 2016

J.J. Faria Santos

Germaine Krull by Eli Lotar.jpg                                   Germaine Krull fotografada por Eli Lotar

                                         (Courtesy of Bert Christensen)

 

Diz Maria Filomena Molder que “quanto mais angústia mais regulamentação”. Portanto, definimos um conjunto de regras que funcionam como um panic room virtual e retiramo-nos para esse casulo burocrático. A uniformização dá-nos, simultaneamente, a ilusão da conformidade e a possibilidade da transcendência padronizada, e permite quer a opção pela diluição na grande massa informe quer o tirocínio para o estatuto de primus inter pares. Tudo muito by the book.

 

Celebra-se e estimula-se (aparentemente) o pensamento “fora da caixa”, mas, idealmente, a enunciação de uma ideia “excêntrica” será apenas um estágio para o acesso ao clube dos regulamentados. A persistência na gestação deste género de ideias ou métodos rapidamente daria origem a um atestado de marginalidade. O prevaricador seria excluído do clube dos conformistas vivos. Ideias revolucionárias q.b. Todo o excesso é pecado. A revolução tout court é o inimigo mortal, o reformismo apenas tolerado.

 

No livro de estilo deste clube não existem textos desafiadores, daqueles que Molder diz que entrar neles é como “entrar num descampado. Temos medo, mas continuamos”. Iludidos pela crença na eficácia de uma existência regulada, baqueamos quando confrontados com o carácter indomável do dia-a-dia e recorremos a ansiolíticos e antidepressivos. Quem nos criou a ilusão de que a vida quotidiana é uma festa com sucessivas happy hours? E se a fonte da nossa angústia fosse, não as vicissitudes de uma vida plena, mas a crença infantil no poder miraculoso da nossa vontade e dos nossos planos infalíveis? O plano A falhou? Esqueçam as recriminações e a roleta russa da culpa. Passem ao plano B. E ao C. Esgotem o alfabeto, combinem letras, desafiem as possibilidades.

 

(Citações de Maria Filomena Molder: entrevista ao Expresso - Revista, edição de 28/05/2016)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D