Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

NO VAGAR DA PENUMBRA

NO VAGAR DA PENUMBRA

JOGO DE LÁGRIMAS

Maio 05, 2012

J.J. Faria Santos

Há muito para admirar num jogo de futebol. Pode ser a particular mistura do profissional com o lúdico que parece embeber as exibições do Barcelona: automatismos e criatividade, estratégia de grupo e fulgor individual; ou a feroz resistência do Chelsea, recorrendo a uma postura de underdog, defendendo com afinco, apostando na força física e na velocidade das transições para criar oportunidades e contrariar a superioridade técnico-táctica do oponente.

No campeonato nacional, era impossível não nos entusiasmarmos, por vezes, com as cavalgadas velozes do Benfica, em vagas sucessivas, comprimindo o adversário; ou não sentir uma ponta de exasperação quando, mesmo sem estar em vantagem, o F.C. Porto se entregava a uma estranha apatia competitiva, desenvolvendo o seu jogo com uma lentidão sonífera. Mesmo que depois, um lance de génio de Hulk ou de James Rodriguez redimissem toda a equipa e todo um desafio.

Os especialistas dividem-se, o que é natural numa actividade que pretende ser, idealmente e em simultâneo, um espectáculo e uma competição. Dosear o esforço é decisivo e há uma linha muito esbatida entre o empenho intransigente e o esforço inglório.

No final do Rio Ave-Benfica da passada semana, uma criança chorava desalmadamente, tentando suster as lágrimas com a passagem pelos olhos do cachecol do clube lisboeta. A seu lado, um familiar procurava consolá-la. Dizendo-lhe, por certo, que o futuro lhe reservaria inúmeras oportunidades para o júbilo. Não há, evidentemente, consolo do porvir que apague o desalento do presente. Restam as lições das horas amargas: lidar com a frustração é um mecanismo de crescimento. “Levantar a cabeça e pensar no próximo jogo” não é uma estratégia de negação, ou de optimismo serôdio de dirigente inchado de importância pelo seu cargo na “instituição” – é uma condição de sobrevivência: no futebol como na vida. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D