NO VAGAR DA PENUMBRA
15 de Dezembro de 2015

A Crise da Europa é o título do artigo de Tim Parks, escritor e professor universitário, disponível no site Politico. O subtítulo é um jogo de palavras particularmente certeiro: A União Europeia: dificilmente unida, europeia por defeito. A dificuldade, explica Parks, começa pela própria definição da natureza da organização: “nem estado nem federação, porém sugando soberania de todos os seus membros”. Formada em resposta a uma ameaça interna, em nome da paz, portanto, a Europa “em vez de procurar um papel de comando no palco da história” acreditou no fim desta e na auto-suficiência do seu destino. Apesar do que foi possível alcançar, o autor nota a inexistência de uma identidade colectiva. E comenta: “Em vez de se apresentar como uma fonte de riqueza ou uma inspiração ideológica, a União é agora um cansativo, por vezes tirânico contabilista dizendo-nos o que podemos ou não gastar, que impostos devemos pagar, quão baixas as nossas pensões devem ser.” E o contabilista é alemão, conclui.

 

Tendo-se tornado evidente que “o único verdadeiro centro de poder na UE é Berlim”, Parks considera que a zona euro “pagou o preço da obsessão alemã pela severidade monetária”. E, numa cedência ao exagero, interroga-se se “a UE não será mesmo por defeito um império alemão”. Com uma França aparentemente incapaz de contrabalançar o poderio alemão, e um Reino Unido que desde o princípio adoptou uma atitude “oportunista e pragmática, nunca idealista”, caso não se empreenda a reinvenção da União Europeia, Tim Parks, de forma algo fatalista, antevê o princípio do fim do projecto europeu.

publicado por J.J. Faria Santos às 20:05 link do post

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Uma clarificação em resposta a interpelação do lei...
Bom dia, Mas do que li pelo menos das citações que...
blogs SAPO