NO VAGAR DA PENUMBRA
14 de Maio de 2017

s_sobral.jpg

                         Fonte: irishtimes.com (Michael Campanella/Getty Images)

 

As últimas aparições do Salvador ocorreram em Kiev a 13 de Maio. No seu transe interpretativo, cantou rodeado dos fiéis devotos da Eurovisão, habituados a performances exuberantes, numa atmosfera quase mística de silêncio, comoção e pontos de luz. Cantou as suas preces pelo regresso de um amor relutante. O artesanato da simplicidade bateu a indústria dos sucessos formatados para uma ditadura do gosto unidimensional. O brilho da autenticidade ofuscou o fulgor inconsistente do fogo-de-artifício. Alguns de nós, a partir de certa altura, começaram a acreditar que uma canção com uma sonoridade intemporal poderia produzir um milagre. E assim foi. Numa cerimónia profana à escala europeia, um hino ao amor quebrou a barreira da língua e ameaça aspirar à universalidade.

publicado por J.J. Faria Santos às 19:42 link do post
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Uma clarificação em resposta a interpelação do lei...
Bom dia, Mas do que li pelo menos das citações que...
blogs SAPO